skipnavigation

Combinando Viagens a Negócios com Lazer

Um olhar quantitativo sobre o fenômeno de 'bleisure'
Julho de 2016

 

Recente progresso tecnológico mudou a maneira como as pessoas trabalham. Dispositivos móveis e de internet permitem conexões ininterruptas com o mundo e colaboradores podem oscilar de trabalho a atividades pessoais e vice versa múltiplas vezes durante o dia. Esta mistura de trabalho e vida pessoal desempenha impacto crescente em áreas de operações de negócios. Neste estudo, analisamos o bleisure - a situação na qual um colaborador adiciona momentos de lazer à sua viagem.

 

 

Para esta pesquisa, analisamos um conjunto de dados de transações aéreas correspondentes a viagens de negócios reservadas pela Carlson Wagonlit Travel (CWT) em todo o mundo entre 2011 e 2015. Grande parte dos resultados se baseiam em um subconjunto de 7,3 milhões de voos, com 1,9 milhão de viajantes de negócios durante 2015.


Nossa definição de bleisure requer uma estadia de sábado à noite no destino, no início ou no final de uma viagem, ou em ambos os momentos. Usando esta definição, descobrimos que todos os anos 20% dos viajantes a negócios realiza viagens de bleisure, e estes representam 7% de todas as viagens corporativas. Estes números permaneceram estáveis desde 2011, o que indica que não se trata de um fenômeno recente.


Nossas análises mostram que para 46% das viagens de bleisure, os dias de lazer ocorrem ao final da viagem, para 34% no início, enquanto que para os 20% restantes o lazer ocorre tanto no início como no final da viagem.


Estabelecemos que a porcentagem de viagens de bleisure, ou a taxa de bleisure, depende da categoria demográfica do viajante:

  • Mulheres viajantes a negócios são mais propensas a realizar viagens de bleisure que seus colegas do gênero masculino: medimos uma taxa de 8,5% para mulheres vs 6,8% para homens.
  • Jovens viajantes são mais significativamente propensos a realizar viagens de bleisure: para viagens com idade entre 20 e 25, a taxa é próxima de 15%.
  • Viajantes frequentes são os menos propensos a realizar viagens de bleisure: a taxa é menor que 5% para os que viajam mais frequentemente.


Nós ainda notamos que a propensão de uma viagem de bleisure aumenta com a distância entre a cidade de origem e a cidade de destino: viagens intercontinentais possuem taxas mais de três vezes mais altas, em média, em relação às rotas domésticas.


Estes resultados antecipam nossa compreensão sobre o fenômeno de bleisure e pode ser usada pelos profissionais da indústria de viagens para melhor antecipar e endereçar as necessidades dos viajantes a negócios.

 

Baixe o estudo para saber mais:

 

Baixar o estudo